LIVE TENTATIVA

Live Tentativa 2.jpg

Experiência performática filmada na quarentena. Perplexidade e impossibilidade de fazer lives diante da pandemia e da morte.

Para assistir, clique no folder da videoarte acima ou clique aqui.

 
FICHA TÉCNICA
Performance e Direção

Nanci de Freitas

 

Consultoria de Vídeo

Analu Cunha

 

Edição de Imagem e Som

Julia Esquerdo

Bolsista de Extensão DEPEXT/PR3

Divulgação e Mídias Sociais

Julia Esquerdo

Bolsista de Extensão DEPEXT/PR3

Live Tentativa 9

Fragmento da Musica Gita, de Raul Seixas

Musica

Arrizabalaga Bravo Laginestra Martinez - 02 - Petrushka Revised

Ao fundo

Imantação, Fotografia de Marília Jaci

Captura de camadas de matéria orgânica

 

Realização

Mirateatro! Espaço de Estudos e Criação Cênica Instituto de Artes da UERJ- ART UERJ

 

Apoios

Pró-reitoria de Extensão e Pesquisa - PR3 (DEPEXT- bolsa de extensão)

Pró-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa - PR2 (INOV UERJ - bolsa qualitec)

Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ

Foto: Nanci de Freitas
Foto: Nanci de Freitas

press to zoom
Foto: Nanci de Freitas
Foto: Nanci de Freitas

press to zoom
Foto: Nanci de Freitas
Foto: Nanci de Freitas

press to zoom
Foto: Nanci de Freitas
Foto: Nanci de Freitas

press to zoom
1/3
 
LIVE TENTATIVA
POR NANCI DE FREITAS
Foto: Nanci de Freitas

Foto: Nanci de Freitas

Isolamento pandêmico. Home office: trabalho em teleconferência. Falta de contato social. Esgotamento. 

Como diz Bung-Chul Han, em entrevista ao jornal El País, publicada em 23/03/2021:

Pediram-me um depoimento em vídeo para um site. Eu devo dizer quem eu sou e o que faço: “Eu sou Nanci de Freitas...”. Começo preparando o espaço... Escolho me sentar em um sofá pequeno. Monto uma mesinha onde apoio o celular numa pilha de livros. Penso no ambiente, no enquadramento e na iluminação. Decido usar uma luminária que se apoia no piso. Gravo à noite, quando minha rua é mais silenciosa.

Olho para minha imagem na tela. “Eu sou Nanci de Freitas... não”. Soou artificial. “Eu sou professora... não”. Está muito didático. “Eu sou... não”, “Eu sou”, “eu sou...”. Eu sou....................................................................

Posiciono-me num ângulo que me agrada. Monto minha imagem. Se eu gosto do que vejo, vão gostar de me ver... Pronto, gravei. Não fico satisfeita com o resultado, mas tive que enviar o vídeo assim mesmo, atendendo ao prazo solicitado.

 

Alguns dias depois, navegando na galeria do celular, me deparei com os registros do processo, uma série de fragmentos das tentativas. Considerei flashes paradigmáticos de “anti-lives”. Comecei a postar um fragmento a cada semana, enquanto os números de contaminados e mortos por COVID 19 iam se avolumando nas estatísticas e nas notícias dos telejornais............

100 mil... 150 mil mortos................................................................................ 

Junto da tragédia e do caos, as “lives tentativas” iam se diluindo, sucumbindo.

Foto: Nanci de Freitas

Foto: Nanci de Freitas

“Durante a pandemia, nos sentimos até mais esgotados ainda do que de costume. Até a inatividade a que o confinamento nos obriga causa-nos fadiga. Não é a ociosidade, mas o cansaço, que impera em tempos de pandemia”. Trabalhamos e estudamos de modo remoto. Para além do trabalho, as redes sociais são nossas ágoras agora. As lives são a possibilidade de contato. A presença nas redes sociais se intensifica e a síndrome da selfie se expande, numa permanente performatização da própria imagem.

 
COMENTÁRIO DE ANDRÉ GARDEL
24 DE OUTUBRO DE 2020, 01:49 | VIA WHATSAPP

Gostei Nanci! A sonoridade concreta, as anti-expectativas, as mudanças repentinas de estado. As lives fracassam beckettianamente, como se a doença de repente te pegasse, trazendo o gratuito, o vazio das lives pseudo-vitais que proliferam por aí. A linguagem que tropeça e não acontece, os créditos a cinema mudo: tudo contribui pro anacronismo de uma performance que - aqui e ali bufa, aqui e ali dramática - engasga, desiste, em pleno mundo dos vitoriosos, dos preparados para o sucesso na mídia.

André Gardel é músico, escritor, poeta e professor pesquisador no Centro de Letras e Artes da UNI-RIO

André Gardel
LIVE MOSTRA DE VÍDEOS: CENA E PEFORMANCE
Gravação da live apresentada por Analu Cunha e Nanci de Freitas, na plataforma Instagram, no endereço @mirateatro_art_uerj, dentro da Mostra de vídeos: cena e performance, produzida pelo projeto Mirateatro! Espaço de estudos e criação cênica. A live debateu questões relacionadas a duas vídeo-performances, com atuação de Nanci de Freitas, Live tentativa e Selfie atônita, realizadas em 2020, durante a quarentena.

 

Apresentação da live: Analu Cunha e Nanci de Freitas

 

Analu Cunha é artista visual e Profª do Instituto de Artes da UERJ.

Nanci de Freitas é atriz, encenadora e Profª do Instituto de Artes da UERJ.

 

Vídeo performance de Nanci de Freitas

Edição de imagem e de som: Júlia Esquerdo (bolsista de extensão)

Clique na imagem abaixo para acessar o vídeo através do canal do YouTube do Mirateatro

Capa Youtube Live dia 10_12.jpg